Vales (Projetos Simplificados)

Incentivos > Incentivos Financeiros > Portugal 2020 > PO Competitividade e Inovação > Vales (Projetos Simplificados)

Vale Empreendedorismo

São suscetíveis de apoio os projetos individuais de aquisição de serviços de consultoria na área do empreendedorismo, nomeadamente a elaboração de planos de negócios, bem como serviços de consultoria na área da economia digital. São valorizados os projetos em setores de alta e média tecnologia e em bens e serviços intensivos em conhecimento.

Condições de acesso

  1. Corresponder a uma empresa criada há menos de dois anos;
  2. Efetuar consulta a pelo menos duas entidades acreditadas para este domínio de intervenção, devendo as aquisições de serviços preencher cumulativamente as seguintes condições:
    • serem exclusivamente imputáveis ao estabelecimento do beneficiário onde se desenvolve o projeto;
    • resultarem de aquisições em condições de mercado a terceiros não relacionados com o adquirente;
    • resultarem de aquisições a entidades acreditadas para a prestação do serviço em causa, não sendo admitida a subcontratação de outras entidades.
  3. Não ter outras candidaturas aprovadas ou em fase de decisão nas tipologias de investimento Empreendedorismo Qualificado e Criativo e Inovação Produtiva PME;
  4. Comprometer-se a apresentar informação, avaliando o serviço prestado pela respetiva entidade acreditada.

Os beneficiários dos apoios são empresas PME de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica que apresentem situação líquida positiva.

São elegíveis todas as regiões NUTS II do Continente (Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve).

O limite máximo de despesa elegível é de 20.000 euros. A taxa do incentivo não reembolsável é de 75%.

A SIBEC é uma entidade acreditada para a prestação de serviços no âmbito do Vale Empreendedorismo nas seguintes tipologias:

  1. Elaboração de planos de negócios;
  2. Serviços de consultoria na área da economia digital.

 

Vale Internacionalização

O objetivo deste Aviso de concurso consiste em apoiar projetos simplificados de internacionalização que visem o conhecimento e a prospeção dos mercados internacionais de PME que não tenham iniciado o seu processo de internacionalização ou, tendo já iniciado, não registam atividade exportadora nos últimos 12 meses em relação à data da candidatura

Enquadram-se nestas ações de prospeção e captação de novos clientes em mercados externos os seguintes serviços:

  1. Estudos de caraterização dos mercados, aquisição de informação e consultoria específica;
  2. Deslocações, alojamento, aluguer de espaços e equipamentos, decoração de espaços promocionais e serviços de tradução, associadas a ações de prospeção realizadas em mercados externos.

Condições de acesso

  1. Corresponder a uma empresa com pelo menos 3 postos de trabalho, existente à data da candidatura, e demonstrar ter capacidade instalada para desenvolver atividade internacional;
  2. Efetuar consulta a pelo menos duas entidades acreditadas para o domínio de intervenção da internacionalização, devendo a aquisição de serviços preencher cumulativamente as seguintes condições:
    1. Serem exclusivamente imputáveis ao estabelecimento do beneficiário onde se desenvolve o projeto;
    2. Resultarem de aquisições em condições de mercado a terceiros não relacionados com o adquirente;
    3. Resultarem de aquisições a entidades acreditadas para a prestação do serviço em causa, não sendo admitida a subcontratação de outras entidades.
  3. Não ter outras candidaturas aprovadas ou em fase de decisão na tipologia de investimento “Internacionalização das PME”;
  4. Comprometer-se a apresentar informação, avaliando o serviço prestado pela respetiva entidade acreditada;
  5. Possuir situação líquida positiva;
  6. Não ter projetos apoiados nesta tipologia.

Os beneficiários dos apoios são empresas PME de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica que apresentem situação líquida positiva.

São elegíveis todas as regiões NUTS II do Continente (Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve).

O limite máximo de despesa elegível é de 20 mil euros. Os apoios a conceder revestem a forma de incentivo não reembolsável e são calculados através da aplicação às despesas consideradas elegíveis de uma taxa de 75%.

A SIBEC é uma entidade acreditada para a prestação de serviços no âmbito do Vale Internacionalização na tipologia estudos de caracterização dos mercados, aquisição de informação e consultoria específica.

 

Vale Inovação

O Vale Inovação visa conceder apoiar projetos que se constituam em pequenas iniciativas empresariais de PME, resultantes de um primeiro contacto com o Sistema de Investigação e Inovação.

São suscetíveis de apoio os projetos individuais que visem o apoio à aquisição de serviços de consultoria de inovação, nos seguintes domínios:

  1. Transferência de conhecimento – consultoria e assistência técnica, nos domínios da transferência de conhecimentos e certificação de sistemas de gestão da investigação, desenvolvimento e inovação;
  2. Inovação organizacional e gestão – assistência tecnológica para a introdução de novos métodos/filosofias de organização do trabalho, reforço das capacidades de gestão, redesenho e melhorias de layout, ações de benchmarking, diagnóstico e planeamento;
  3. Economia digital e TIC – serviços de implementação de modelos de negócios para inserção da PME na economia digital que permitam a concretização de processos desmaterializados com clientes e fornecedores através da utilização das TIC;
  4. Criação de marcas e design – serviços de conceção de marcas próprias para produto e da empresa;
  5. Proteção de propriedade industrial – consultoria para aquisição, proteção e comercialização de direitos de propriedade intelectual e industrial e para acordos de licenciamento;
  6. Qualidade e Eco-inovação – consultoria relativa à utilização de normas e serviços de ensaios e certificação;

Condições de acesso

  1. Efetuar consulta a pelo menos 2 entidades acreditadas para o domínio de intervenção da inovação;
  2. Não ter outras candidaturas aprovadas ou em fase de decisão na tipologia de investimento “Empreendedorismo Qualificado e Criativo” e “Inovação Produtiva PME”;
  3. Comprometer-se a apresentar informação, avaliando o serviço prestado pela respetiva entidade acreditada;
  4. A data de candidatura deve ser anterior à data de contratação com o prestador de serviço;
  5. Demonstrar que se encontram asseguradas as fontes de financiamento;
  6. Ter uma duração máxima de 12 meses;
  7. Não corresponder a projetos em curso na entidade acreditada;
  8. Demonstrar a natureza incremental e não recorrente da atividade contratada;
  9. Possuir situação líquida positiva.

Os beneficiários dos apoios são empresas PME de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica que apresentem situação líquida positiva.

São elegíveis todas as regiões NUTS II do Continente (Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve).

O limite máximo de despesa elegível é de 20.000€. O apoio a conceder reveste a forma de incentivo não reembolsável e corresponde 75% das despesas elegíveis.

A SIBEC é uma entidade acreditada para a prestação de serviços no âmbito do Vale Inovação nas seguintes tipologias:

  1. Inovação organizacional e gestão;
  2. Economia digital e tecnologias de informação e comunicação (TIC);
  3. Qualidade e Eco-inovação.

 

Vale I&D

O objetivo deste programa é intensificar o esforço nacional de I&I e a criação de novos conhecimentos com vista ao aumento da competitividade das empresas, promovendo a articulação entre estas e os restantes atores do Sistema de I&I. São suscetíveis de apoio os projetos individuais relativos à aquisição de serviços de consultoria em atividades de investigação e desenvolvimento tecnológico, bem como de serviços de transferência de tecnologia, nos domínios prioritários da estratégia de investigação e inovação para uma especialização inteligente (RIS3).

Condições de acesso

  1. Identificar de forma clara, objetiva e prática, o problema a solucionar e demonstrar que o serviço a adquirir no domínio de intervenção selecionado vai contribuir para a sua resolução efetiva;
  2. Demonstrar a natureza incremental e não recorrente da atividade contratada;
  3. Corresponder a uma empresa com pelo menos três postos de trabalho existentes à data da candidatura;
  4. Não ter projetos aprovados nas tipologias de individuais, demonstradores e mobilizadores do SI I&DT, nem outros Vale I&D;
  5. Efetuar consulta a pelo menos duas entidades acreditadas para o domínio de I&DT, devendo a aquisição de serviços preencher cumulativamente as seguintes condições:
    1. Serem exclusivamente imputáveis ao estabelecimento do beneficiário onde se desenvolve o projeto;
    2. Resultarem de aquisições em condições de mercado a terceiros não relacionados com o adquirente;
    3. Resultarem de aquisições a entidades acreditadas para a prestação do serviço em causa, não sendo admitida a subcontratação de outras entidades.
  6. A data da candidatura ser anterior à data de início da contratação com o prestador do serviço (entidade acreditada);
  7. Demonstrar que se encontram asseguradas as fontes de financiamento;
  8. Não corresponder a projetos em curso na entidade acreditada;
  9. Ter uma duração máxima de execução de doze meses;
  10. Quando o projeto se inserir numa nova atividade económica, o beneficiário tem de demonstrar que o projeto visa expandir o âmbito da atividade económica da empresa.

Os beneficiários dos apoios são empresas PME de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica que apresentem situação líquida positiva.

São elegíveis todas as regiões NUTS II do Continente (Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve).

O limite máximo de despesa elegível é de 20.000€. O apoio a conceder reveste a forma de incentivo não reembolsável e corresponde 75% das despesas elegíveis.